Capa / Projetos / Relatório de Atividade das Ações do Programa de Controle da Hanseníase – SESPA
brasa

Relatório de Atividade das Ações do Programa de Controle da Hanseníase – SESPA

 

Relatório de Atividade das Ações do Programa de Controle da Hanseníase – SESPA

Atividade realizada em Parceria com logo

Locais visitados: 11º CRS (sede Marabá); 9ºCRS (sede Santarém); 3ºCRS (sede Castanhal)
Atividades: Treinamento e atualização nas melhores práticas do SINAN NET/Hanseníase
Período: Maio de 2014

ENCONTRO AIFO 2013 250

Luiz Augusto Costa de Oliveira – Coordenador

Bruno Vinícius Pinheiro – Técnico SINAN NET
Jovina Josefa Malcher – Enfermeira
Ribamar dos Santos Reis – Técnico SINAN NET
Isabel Ivone Danin – Enfermeira
Ana Maria do Carmo – Farmacêutica

 

Coordenadores do PCH ( CRS e municípios)
Técnicos envolvidos: Operadores e/ou interlocutores do SINAN NET/Hanseníase. (CRS e municípios)
1. Formato:

Os munícipios são mobilizados pela regional, a participarem de uma dinâmica prático-expositiva, que compreende as principais
ações do PCH, fazendo uso do SINAN NET como principal recurso de informação.
2. Métodologia:

Dinâmica Prático-expositiva do SINAN NET/Hanseníase, sua ferramentas e aplicativos;

■ Acessando opções de ferramentas do menu de operações, para rotinas de notificação, consulta e acompanhamento;
■ Executando a rotina de análise e eliminação de duplicidades;
■ Utilizando o SINAN Relatórios, para obtenção da lista de casos em situação de “faltosos e prováveis abandono”
■ Utilizando o aplicativo TabWin, mostrando e executando as tabulações e seleções de dados para obtenção dos indicadores
operacionais e epidemiológicos que proporcionarão a análise e subsidiarão a atividadede de;”Avaliação e Planejamento de Estratégias”
, para alcance das metas pactuadas no Plano Municipal que contempla o Programa de Hanseníase;
3. Objetivo geral:

Capacitar os técnicos da área de vigilância epidemiológica da hanseníase, operadores e/ou interlocutores do SINAN NET a nível
regional e municipal, no uso dos instrumentos de notificação e acompanhamento dos casos. Assim como, nas melhores
práticas do uso das ferramentas e aplicativos do SINAN NET/Hanseníase, para obtenção de informações e elaboração de
relatórios de análise epidemiológica e operacional, afim de proporcionar o fortalecimento das ações.
4. Objetivos específicos:

■ Conhecer os recursos/ferramentas computacionais disponíveis para o uso nos serviços de saúde, no que se refere ao monitoramento
e avaliação dos dados de hanseníase a partir do SINAN NET, TabWin, SINAN Relatórios;
■ Desenvolver habilidades para a construção e análise de indicadores que subsidiam o monitoramento, a avaliação e o planejamento
de estratégias para o Programa de Hanseníase por meio da base de dados mantida no SINAN;
■ Melhorar a qualidade dos registros de; notificação/investigação/acompanhamento do agravo hanseníase no SINAN;
■ Atualizar os profissionais nas práticas de análise de informações epidemiológicas e operacionais da hanseníase;
■ Estimular os profissionais das regionais e municípios a manterem atualizados os dados até o encerramento de casos.
Técnicos responsáveis : CEPCH /DVS /SESPA:
5. Resultado esperado:

■ Espera-se que os participantes, ao final do curso, sejam capazes de manipular o SINAN NET, suas ferramentas e aplicativos
e realizar a análise crítica dos dados informados na notificação, investigação e acompanhamento dos casos de hanseníase.
■ Obter informações do sistema, através de relatórios de acompanhamento e indicadores que evidenciam a qualidade das
ações desenvolvidas, afim de proporcionar o fortalecimento do controle da endemia na região.
6. Avaliação da atividade:

■ Os municípios foram mobilizados, com a brevidade necessária, pela coordenação regional.
■ Foi desenvolvida conforme planejamento prévio feito entre equipes do Nível Central e os Centros Regionais de Saúde.
■ O espaço destinado para a atividade, possibilitou a instalação dos computadores dos municípios, acomodação dos tecnicos e
utilização de recursos didáticos necessários para o treinamento.
■ Os técnicos municipais participantes demostraram um bom desempenho e interesse em contribuir qualitativamente a atividade.
7. Considerações importantes:

■ O principal objetivo do treinamento é subsidiar a regional e municípios com domínio indispensável para o uso do SINAN NET, suas
ferramentas e aplicativos, a fim de proporcionar a obtenção de informações do sistema de forma rápida e inteligente, proporcionarão
uma análise quantitativa(epidemiológica) e qualitativa(operacional) das ações desenvolvidas para o controle do agravo na região.
■ Pontos-chaves do treinamento:
– Elucidar os módulos de acesso do sistema para; Notificação, Acompanhamento e Consultas.
– Sensibilizar quanto a emissão de botetim de acompanhamento dos casos(mensalmente), e atualização oportuna dos casos, assim
como ao relatório de” Faltosos e prováveis abandono”, que complementar ao boletim é um instrumento importantíssimo para o
acompanhamento, oportunizando à maioria dos casos a alta por cura.
– Prática de análise e eliminação de duplicidades, que deve ser uma rotina na operação do SINAN.
– Prática em tabulação e operações para criação dos indicadores epidemiológicos e operacionais da hanseníase, com TabWin
■ Principais produtos do treinamento:
– Atualização do acompanhamento dos casos, através do último “boletim de acompanhamento” emitido e preenchido.
– Atualização e encerramento oportuno dos casos, através da emissão do relatório de “faltosos e prováveis abandono”.
– Análise e execução da rotina para “não listar” e “vincular” duplicidades de registros.
– Elaboração da planilha de avaliação de indicadores da hanseníase.
– Discussão sobre os indicadores obtidos.
– Transferência oportuna do lote da semana epidemiológica para regional.

Relatório de Atividade das Ações do Programa de Controle da Hanseníase – SESPA

Locais visitados: 11º CRS (sede Marabá); 9ºCRS (sede Santarém); 3ºCRS (sede Castanhal)
Atividades: Avaliação dos indicadores e Elaboração do plano de estratégias municipal para ações em hanseníase.
Período: Maio de 2014

Luiz Augusto Costa de Oliveira – Coordenador
Bruno Vinícius Pinheiro – Técnico SINAN NET
Jovina Josefa Malcher – Enfermeira
Ribamar dos Santos Reis – Técnico SINAN NET
Isabel Ivone Danin – Enfermeira
Ana Maria do Carmo – Farmacêutica

Coordenadores do PCH ( CRS e municípios)
Técnicos envolvidos: Operadores e/ou interlocutores do SINAN NET/Hanseníase. (CRS e municípios)

1. Formato:

Á partir dos dados obtidos, produto da tabulação executada pelos operadores do sistema, usando o TabWin.Os coordenadores municipais
do PCH, irão através da análise dos indicadores, definir ações estratégicas para melhoria ou manutenção dos resultados alcançados.
Preenchendo modelo de planilha sugerida pela CEPCH e apresentando os resultados e propostas em apresentações individualizadas.

2. Método:

■ Planilhas pré-elaboradas pela CEPCH, são disponibilizadas aos coordenadores municipais, para preenchimento contendo planejamento
estratégico com medidas efetivas para a melhoria no cenário epidemiológico e operacional da hanseníase no município.
■ Roda de discussão, conduzida pelos técnicos responsáveis da CEPCH e facilitadores dos Centros Regionais de Saúde, provocando
interatividade de realidades, idéias e experiências bem sucedidas no trabalho em ações de controle da hanseníase.
■ Apresentação da planilha contendo o retrato do município, em forma de indicadores. Definindo atividades estratégicas que serão

adotadas para o cumprimento das metas pactuadas para a hanseníase no ano de 2014.

3. Objetivo geral:

Subsidiar a gestão municipal do PCH dos municípios participantes, com informações atualizadas da realidade da endemia na região, a fim
de propocionar uma avaliação de todas a variáveis que compõe as ações de controle da hanseníase. Vislumbrando estratégias que
o Plano de Ação Municipal.

4. Objetivos específicos:

■ Conhecer os indicadores epidemiológicos e operacionais da hanseníase de cada município participante.
■ Provocar a integração entre operador do sistema e coordenador do PCH. Evidenciando o potencial das ferramentas do SINAN NET em
gerar informações para elaboração de relatórios de análise, planejamento e acompanhamento das ações do PCH.
■ Preencher modelo de planilha proposta pela CEPCH, com as informações epidemiológicas e operacionais do município, definindo e
apresentando ao grupo as melhores estratégias idealizadas e experimentadas para as ações do PCH.
Técnicos responsáveis
CEPCH /DVS /SESPA:

5. Resultado esperado:

■ Apropriando-se das informações, conhecidas e debatidas na avaliação, a partir da evidenciação da realidade da situação epidemiológica,
mas principalmente, quanto a organização e disponibilização dos serviços de saúde da rede municipal, para as ações de controle da
hanseníase, possam ser tomadas medidas efetivas, para o cumprimento das atividades estratégicas pactuadas a serem implementadas
no município.
■ Envolvimento e comprometimento dos profissionais responsáveis pela execução e gestão dos serviços de atenção e vigilância a
hanseníase.

6. Avaliação da atividade:

■ Os coordenadores do PCH dos municípios participantes, desenvolveram a atividade com qualidade, demonstrando um bom domínio das
ações de controle da hanseníase.
■ A dinâmica de apresentações individualizadas, em que coube a cada coordenador representar seu município, explanando sobre a
situação atual e o trabalho que será desenvolvido para o melhor resultado ao final do ano, foi muito positiva.
■ Consideramos que a atividade alcançou seu objetivo, desenvolvendo-se de forma muito produtiva e que a troca de experiências e
conhecimento proporcionado pela integração e interação entre os profissionais envolvidos, vem colaborar a qualidade do serviço na região.

7. Considerações importantes e encaminhamentos:

■ O principal objetivo desta atividade é colaborar com o serviço regional e municipal em elaborar estratégias, de acordo com a realidade,
facilidades e limitações operacionais de cada município participante.
■ A integração entre a rede de atenção básica, a vigilância epidemiológica e o SINAN NET, é extramente relevante para o alcance dos
melhores resultados e evidenciam a qualidade da gestão municipal.
■ Toda a informação que subsidiou a análise e discussões a cerca do cenário operacional e epidemiológico ocorrido nesta atividade foi
obtido através do SINAN NET, sistema que centraliza todas as informações originadas das U.S e gerenciadas pelo município. Ou seja,
a informação que é analisada, é reflexo de todo trabalho iniciado e realizado na U.S, pelos profissionais de saúde que atendem o caso.
■ É necessário, de posse das informações extraidas, assim como dos relatórios produzidos, cada município reuna com suas equipes
a fim de mostrar o retrato do trabalho que é visualizado á partir na análise das informações do sistema.
■ É importante que se compreenda, que a forma mais inteligente de termos uma visão completa, que possibilite uma análise e resposta
rápidas aos nossos problemas e deficiências, é através do sistema de informação, e quando conseguirmos fazer deste uma imagem fiel
da realidade, seremos muito mais eficazes no gerenciamento de estratégias.
■ Esperamos que o compromisso firmado por cada município, através do seu coordenador do PCH, em alcançar as metas de trabalho
para esse ano de 2014, seja efetivamente executada, para assim somarmos positivamente ao esforço realizado por todo o Estado.

 

Check Also

Vila Esperança apresenta o Ayó/Ori aos alunos do IFG durante a Secitec

A Matemática é a ciência dos padrões, das relações e de atividades criativas. Mescle essa ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *